Também quero falar sobre pirataria – Parte 2

Amigos, esta é a continuação de um texto que eu escrevi em 2007. Na verdade, é uma continuação que aconteceu antes do narrado no texto de 2007. Pra quem me conhece há pouco tempo e não teve saco de ler as antigas, recomendo que pare uns dois minutos e leia a primeira parte, pra contextualizar. Pois é, dois anos pra continuar uma história com o seu começo, eu sei. Eu não sou mesmo um sujeito linear.

*    *    *

Dick Rambone chega para mais um dia de trabalho

Dick Rambone chega para mais um dia de trabalho duro

E estamos de volta aos maravilhosos anos 80.

A rapaziada se reuniu para uma sessão secreta de videocassete 4 cabeças, fitas seladas, na casa do J.F. Dois filmes foram meticulosamente escolhidos: “Rambone, o Destruidor / Rambone, the Destroyer” (Whett, 1985) e, por ironia não proposital, “Curtindo a vida adoidado / Ferris Bueller’s Day Off” (Hughes, 1986).

Hoje, todo mundo sabe quem é o Ferris Bueller. Mas só alguns conhecem o privilegiado Dick Rambone.

Bom, naquela tarde, nós não conhecíamos nenhum dos dois. Éramos jovens e inocentes, posso afirmar categoricamente, falo por todos.

E você, minha jovem, que não conhece o Dick: o apessoado Rambone teria sido o sucessor do grande John Holmes (se você também não foi apresentada ao inesquecível Big John, recomendo uma leitura ligeira na wikipedia). Talento não lhe faltava. Fez um punhado de filmes e, dizem as más línguas do ramo, aposentou-se precocemente com problemas de ereção. Não devia ser mole levantar aquele peso.

Os amigos e amigas podem não acreditar, mas assistir pornografia, naquele período remotíssimo da História, era um ato com elevado respeito. Esotérico, eu diria. Religioso talvez. Uma experiência. Eu, J.F., R.V. e os outros comparsas (alguns dos quais me lêem neste EXATO momento) abraçados ao sonho, imóveis, mesmerizados. Tocar uma punheta para um filme pornográfico seria profaná-lo.

E Rambone foi, para alguns de nós, o primeiro filme explícito. Ah, o primeiro filme explícito a gente nunca esquece. Não é, nem perto, o melhor filme que assistimos em nossas vidas calejadas. Mas foi o primeiro, inolvidável e único em sua ordem.

O enredo: a doce namorada de Dick Rambone é mantida cativa por um bando de tarados e um caolho. Nosso herói surge no meio da fita para salvá-la, castigando aquelas que aparecem em seu caminho. O final é feliz.

Terminados os pouco mais de 60 minutos da fita (lembrem: nos anos 80 os filmes de sacanagem duravam em média uma hora e dez), restou-nos curtir, sossegadamente e entre talagadas de coca-cola 1 litro em casco de vidro, as aventuras de Ferris e seus amigos maluquetes. A saudosa e querida mãe de J.F. chegou na casa e todos comemos sanduíches de queijo-quente, satisfeitos com nossos segredos.

*    *    *

Quando John Hughes morreu, pensei em Dick Rambone. Indivisíveis, Ferris Bueller e Dick Rambone. Decorridos mais de 20 anos, pensei nos amigos, naquela tarde distante, pensei que eles estariam pensando em Dick Rambone. Pensei que estariam pensando um “CARALHO” uníssono, da mesma forma que pensaram naquela ocasião.

E aí assisti, pela enésima vez, Curtindo a vida adoidado. Passou de novo num canal aí qualquer (você percebe que está velho quando sente o coração partir quando aquela Ferrari despenca o barranco, coisa que não sentia quando era garoto, mais preocupado em reparar na namorada gostosinha de Ferris na piscina).

Pela enésima vez, rendi minhas homenagens. Ao Hughes, John. Ao Huge, Dick.

Comments (11)

  1. Andre Blak wrote::

    AB estava lá e lembra de cada segundo daquela histórica tarde espinhenta. Maravilha de recordação! CARALHO!!!!!

    Saturday, October 17, 2009 at 15:28 #
  2. Andre Blak wrote::

    Ah, sim… O Rambone não é a cara do Borat?

    Saturday, October 17, 2009 at 15:28 #
  3. Sim!

    Dick Rambone é, na verdade, Isaac Rambonemberg. Daí a semelhança física e semítica com o Sacha Baron Cohen. Aliás, dizem por aí que os semitas são todos bem dotados…

    Sunday, October 18, 2009 at 18:38 #
  4. Abgail Marroné wrote::

    São saudosos esse tempos idos!
    Hoje em dia o sexo está em qualquer lugar, no site ao lado, no msn…
    Me lembro a primeira vez que vi revistinha de sacanagem do meu pai! Isso mesmo, a primeira, pq depois procurei outra e mais outra.
    Hoje em dia ela está na capa do cd da Marisa Monte.

    Monday, October 19, 2009 at 22:00 #
  5. Hoje em dia as crianças são alfabetizadas com a Playboy (pirateada).

    Que ótimos tempos estes agora!

    Monday, October 19, 2009 at 22:05 #
  6. denise wrote::

    Era vc que escrevia no Blog do Adamastor?
    abs

    Wednesday, October 21, 2009 at 22:44 #
  7. Seja bem-vinda, denise.

    Mas não era eu quem escrevia no Blog do Adamastor. Tenho alguns textos espalhados por aí, mas blog, só escrevi neste aqui, o “Adama de Ouro” do udigrudi.com.br.

    Wednesday, October 21, 2009 at 22:57 #
  8. Nordestina wrote::

    Dick Rambone aposentou-se por problema de ereção porque ainda não haviam inventado o Viagra! Vivam as descobertas científicas!Na hora H, Nordestina agradece.

    Wednesday, October 21, 2009 at 23:17 #
  9. Andre Blak wrote::

    Uma historinha clássica dessa época era a do John Holmes. Não me lembro que gostosa ia contracenar com ele pela primeira vez. Temendo os 35cm do Mestre, se entupiu de relaxante muscular e caiu dura minutos antes do “Gravando”. Diziam que fora a única mulher a dormir com o Holmes, já que na vida real o garanhão era égua.

    Thursday, October 22, 2009 at 10:42 #
  10. Andre Blak wrote::

    Aliás, ele morreu de AIDS, não? O que as 18.946 porno stars que contracenaram com ele pensaram quando receberam a notícia. Ahhhh, bons tempos de anos 80!

    Thursday, October 22, 2009 at 10:44 #
  11. Sim, morreu de AIDS. Continuou filmando mesmo depois de saber que era HIV positivo.

    Creio que o Marc Wallice, vulgo “banana penis” dos anos 80/90, também fez essa sacanagem com as atrizes, filmou bastante enquanto HIV positivo, até ser descoberto e cair no ostracismo – o Marc Wallice ainda está vivo.

    Thursday, October 22, 2009 at 20:39 #