Demasiado mamífero

Neném feliz

Todos sabem que compartilhamos noventa e tantos porcento dos nossos genes com os chimpanzés. Daí que, quando contemplo curiosamente nosso primo primata, procuro pelas poucas diferenças entre as espécies.

(Ora, e se alguém quer entender alguma espécie, a humana inclusive, é necessário estudar as fêmeas. Digo isso sempre para os meus sobrinhos: estudem as fêmeas, meninos, estudem as fêmeas).

Amigos, a notável diferença incide sobre os peitos. Nenhum mamífero possui peitos tão interessantes quanto os das nossas fêmeas. O mais próximo de nós são os peitos das elefantas, que nem são assim bonitos de se ver. Já as tetas das chimpanzés quase não se notam – delgadas torneirinhas de leite para os macaquinhos famintos.

Os chimpanzés, como qualquer telespectador assíduo do Discovery sabe, são seres orientados à bunda. O que é o hábito entre os símios, em geral. Nós ainda gostamos muito de bunda, é claro, mas não dá pra competir com os nossos parentes. Para eles, a bunda assinala a receptividade para a cópula, em uma explosão de cores e odores, todo chimpanzé adolescente cheio de espinhas sabe muito bem disso.

As teorias nos levam a crer que, bem antes do advento do Éden, os hominídeos também eram essencialmente bundófilos. Mas o que aconteceu? Respondo: em algum lugar da pré-história, passamos a caminhar eretos. E a pobre bunda ficou menos acessível aos sentidos dos preguiçosos machos peludos. Era preciso uma nova distração para que eles voltassem a dar no couro, distraídos que estavam em brincar com suas novas invenções, a roda, o fogo e outras tralhas – ainda não havia carros esporte nem videogames playstation.

Pois a evolução nos presenteou com peitos novos, inéditos no reino animal. Muito além de qualquer tetinha já desenhada pela genética no passado dos dinossauros. A melhor invenção desde sempre, até o advento do controle remoto sem fio. Mamas projetadas para o contato visual, sem a necessidade de reclinar a frágil coluna espinhal dos machos. Suaves ao toque. Redondas. Imberbes. Bundinhas que subiram de elevador só para nos olhar nos olhos, para piscar para nós. E ainda tem gente que condena a fundamental manjada! Como condenar!? Está escrito em cada ribossomo do nosso organismo que peitos têm que ser observados! Os machos precisam avaliar constantemente a disponibilidade sexual das fêmeas, ou podem ser presos por pedofilia.

Mas nem tudo são flores no jardim dos seios. O problema é que permaneceram sobrecarregados com a função de alimentar as nossas crias. Nenhum dos nossos nenéns cogitou desistir da condição de mamífero e liberou o material para os papais aflitos pela abstinência forçada. E para piorar: sugando, os pequenos egoístas têm suas primeiras experiências sexuais, sem que ninguém possa fazer algo para parar com a putaria (Freud bem que tentou, mas não conseguiu).

O momento mais tenso de toda essa amamentação desenfreada ocorre quando as mães esquecem da função primária dos peitos humanos (como dito, satisfazer sexualmente os machos) e alimentam seus filhos ao ar livre, em plena luz do dia. Não sabem o conflito que deflagram: afinal, os homens devem olhar para os peitos ou para o neném que deles usufrui? Reclamar os peitos para si e zelar pela prole indefesa indicam atitudes instintivas a favor da preservação da espécie. Para evitar esse dilema brutal, as mulheres não deveriam amamentar na presença dos torturados pais. Deixem que os nenéns arrotem sem motivo aparente. O aleitamento deveria ser um mistério inviolável, um segredo sagrado entre a mãe e a criança.

É verdade, o peito que chama é o mesmo que afasta. Não se conhece nenhum chimpanzé que mame pela bunda. A mãe natureza precisa lidar com essas questões urgentes, tão específicas do homo sapiens. De preferência, sem envolver próteses de silicone.

Comments (11)

  1. Nat wrote::

    Onde estão os seios da mãe natureza????

    Monday, June 9, 2008 at 08:47 #
  2. Nordestina wrote::

    Os seios da mãe natureza devem estar ocupados alimentando algum filho ou pai natureza

    Monday, June 9, 2008 at 13:02 #
  3. Mulher do The Deco wrote::

    A história é triste, mas ao menos pro The Deco teve um final feliz: A Mãe Natureza concedeu a sua “bela esposa” (EU) um par de seios fartos, porém desproporcionais, que foram delicadamente polidos por um cirurgião plástico que os rejuvenesceram alguns anos, livrando de algumas gramas.
    No entanto para se vingar, essa mesma Mãe Natureza roubou da “bela morena” o direito de amamentar a sua prole, deixando aquele par de peitos secos de leite, não lhes restando nenhuma outra utilidade senão satisfazer à lascívia do Papai.
    Se deu bem, né Meu Bem!

    Monday, June 9, 2008 at 17:48 #
  4. Interessante, Mulher do The Deco.

    Eu acho que o Estado poderia patrocinar um “desleitamento” em massa.

    Seria bom para os pais, que teriam o monopólio mamal.

    Mas também seria bom para as mães.

    Particularmente, não conheço nenhum macho adulto que tenha escalavrado os peitos de sua amada da mesma forma cruel como fazem as nossas crias. Deve existir, mas não conheço. Afinal, num parque de diversões, devemos brincar em todos os brinquedos…

    Como disse, peitos humanos não servem pra amamentar sua prole. Não é natural.

    E pros nenéns, tanto faz, contanto que não falte leite, seres gulosos. E poderão aprender sacanagens freudianas com outras pessoas, talvez com aquela prima do interior, certamente não mais com a própria mãe.

    Que fique claro, o leite materno é importante, eu nunca vou negar isso. Mas bem poderia ser extraído ao estilo das seringueiras. Deixa pingar e bota um balde embaixo…

    Monday, June 9, 2008 at 18:23 #
  5. Andre Blak wrote::

    O que esse tal de The Deco fez pra merecer uma esposa tão exibicionista?

    Tuesday, June 10, 2008 at 10:13 #
  6. Nordestina wrote::

    Dada as mil e uma utilidades da mãe natureza, os seios femininos, belos ou não, fartos ou não, suprem as necessidades dos pequenos e dos grandes, isso é o que eu chamo de produção solidária.

    Tuesday, June 10, 2008 at 13:51 #
  7. Abgail Marrone wrote::

    É… peitos pra quê te quero!

    Wednesday, June 11, 2008 at 14:14 #
  8. Nat wrote::

    Putz, eu tou querendo doar um pouco, alguém quer? A mãe natureza foi deveras generosa comigo, mas suprimiu um tantinho de força na coluna pra aguentar tamanha dádiva…

    Wednesday, June 11, 2008 at 23:19 #
  9. Nordestina wrote::

    PARA NAT:

    Nat, eu aceito, se tal entrega for de fato, sem ônus para o recebedor. Mãe natureza não foi tão generosa comigo, como diria um amigo (um tanto quanto íntimo), parecem dois carocinhos de pitomba…

    Thursday, June 12, 2008 at 13:50 #
  10. Abgail Marrone wrote::

    Peitos eu tenho, só não tenho leite. Mas se alguém quiser me fecundar, acho que produzirei em larga escala industrial.

    Friday, June 13, 2008 at 17:58 #
  11. O louco dos gatos wrote::

    Cara Abgail, para fecundar estamos aí! Fato é que, por ser barbantinho, teremos que tentar mais do que o usual até atingir o objetivo. Com todo resPEITO.

    Monday, June 16, 2008 at 10:20 #